25 janeiro 2010

os jornalistas e o haiti

ontem estava a ver as notícias sobre o Haiti, mas como já não posso ouvir, vezes sem conta, as mesmas coisas tinha a televisão na opção muda. quando liguei o som estava uma jornalista da rtp1, rosário não sei quantas, a dizer que o povo haitiano tinha sido atingido, nos últimos anos, por muitas catástrofes, revoluções e outras tragédias. perguntei-me se uma revolução será uma tragédia para um povo. e cheguei à conclusão que não. se um povo faz uma revolução é porque a deseja e portanto um povo não deseja uma tragédia para si. quando um povo faz uma revolução é uma festa, para esse povo. admito que possa ser uma tragédia para alguns, os tiranos, os que são apeados do poder, mas nunca para a grande maioria do povo que fez a revolução. por vezes, infelizmente muitas, certos jornalistas não parecem conhecer o real sentido das palavras que dizem, ou então têm o pensamento tão formatado para determinadas direcções que são incapazes de ver o que lhes está mesmo à frente. também não explicam porque tendo sido o Haiti um dos primeiros países da américa a fazer uma revolução de escravos, vitoriosa, logo no início do século XX é hoje "um estado falhado". não dizem que isso aconteceu porque desde então os USA ocupam o Haiti a seu belo prazer, e ainda mais depois da revolução cubana. a certos jornalistas, não lhe fará confusão, porque é que num país totalmente devastado, onde as pessoas continuam a não ter comida e água para sobreviver, cheguem milhares de marines americanos carregados de metralhadoras e do arsenal que já lhes conhecemos no irão e afeganistão? só falta que em vez de largarem sacos com comida larguem bombas, assim resolviam a questão de vez e davam escoamento àquilo que mais produzem: armas de guerra. cada vez detesto mais uma certa américa. e nem vejo onde está  a diferença actual.

2 comentários:

Marília Gonçalves disse...

estimada azinheira

tragédia é a fome, o sofrimento, o silenciamento dos povos! a Revolução, não será apenas a resposta? o único caminho para a saída do horror? da corrupção, da ausência concreta de esperança?
Por isso a nossa bela revolução dos cravos, o nosso magnífico 25 de Abril
que tantos hoje tentam derrubar!
abraço amigo

Marília Gonçalves

sou azinheira disse...

sem dúvida marília
essas são as grandes tragédias da humanidade.
o nosso 25 de abril está e continuará vivo nos nossos corações.
e aí ninguém o pode derrubar
abraço