24 maio 2012

quando eu nasci






"quando eu nasci,
ficou tudo como estava..."
sebastião da gama


quase nasci debaixo de uma azinheira
numa segunda feira
quente como fornalha

quase em cama de palha

que  minha mãe
ceifeira de trigo
cortava
na herdade de belmeque
junto à serra da preguiça

em alentejo largo
de sol a sol
e castigo

no campo do latifúndio
abri os olhos

espantei-me com o mundo

levaram minha mãe
num burro
e
nasci em casa
na rua do castelo
hoje nº 12,
então não tinha número

naquela aldeia de pias
da vila de serpa
longe de tudo
era grande o mundo


eu nasci  e o meu pai estava preso
em caxias
por causa de maio

por causa de maio
antes daquele dia
o
primeiro,
vieram
muitas vezes 
buscá-lo

à noite 
atrás de grades
o meu pai 
trazia
no peito a dor
de um país sem liberdade



ainda nem me conhecia
e as saudades já 
que sentia

escrevia-as
nas cartas que alguém lia
e minha mãe  escutava 

e chorava


quando os seus olhos me viram
eu  sorria 
e já tinha meses


herdei de meu pai
essa dor 
e
ao longo da minha vida
a tenho sentido

ainda a  sinto 
muitas vezes 


nasci a 25 de maio de 1959

12 comentários:

Marília Gonçalves disse...

Parabéns querida amiga, rubra papoila do Alentejo
Quanto tu nasceste, nascia contigo, mais uma esperança de Justiça para Portugal, por seres quem és e digna filha de quem és!
Fico feliz,que esse dia tenha sido o primeiro, dia de uma vida de Combate de Justiça e de Fraternidade, nascia-me assim uma amiga, nome que não dou a toda a gente.Meus amigos estão à Esquerda, não tenho outros!
Porque sabem que em cada ser humano vibra o mesmo sonho tanto individual como colectivo. Com alegria, de novo reafirmo meus Parabéns.
Tua amiga sempre, nós que herdámos o companheirismo de nossos pais e a sua sadia camaradagem, porque há pessoas, que são amigas, mesmo se nunca se encontraram!
Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

Nasceste um ano depois de meu pai ser preso pela PIDE, meu pai foi preso a 2 de Maio de 1958, quando eu tinha dez anos.
Marília

azinheira sou eu disse...

obrigado, querida marilia
pela tua amizade

um grande abraço desta, também, tua amiga papoila

ARFERLANDIA disse...

Quando nasceste
como papoila rubra
que desponta na planície
tomaste-lhe a cor
o vermelho dos cravos de ABRIL
que nos trouxeram a esperança
do MAIO com que sonhávamos.
E NASCESTE, CRESCESTE
E CAMINHASTE LIGANDO
O PASSADO AO PRESENTE.
E aqui nos contas que:
~Foi à sombra de uma AZINHEIRA
Que já não sabia a idade
Que nasceste companheira.
Não foi ficção, mas pura realidade-

Gostei do teu POEMA
Como tenho lido e gostado
dos outros.

Abraço fraterno

ARFER

andrade da silva disse...

Era assim, e agora como é,por obra de uns e outros: os que prendiam e os que foram liberto e se organizaram em poderes? Quantos agora se sentem presos, embora sem grades pelas prisões virtuais e reais de opinião, sectarismos que ambos carcereiro de ontem e libertos, hoje, carcereiros, construíram.

Um beijinho e bom dia, Viva a vida.
joão

andrade da silva disse...

Todavia hoje o que importa é saudar o teu nascimento, saudar a vida e os teus pais que num ambiente tão hostil tiveram a coragem de serem pais e tu de nasceres e esta é a mensagem que quero deixar-te, muito embora o teu doloroso e também glorioso poema, me tivesse levado para considerações da realidade nacional, mas HOJE É O TEU DIA e dos teus Pais sê feliz vive a felicidade de nascer e viver. E esta é a minha mais sincera mensagem para ti e os teus neste dia
bjnho

azinheira sou eu disse...

queridos amigos
retribuo as vossas palavras com a minha amizade
obrigado
abraços

Marília Gonçalves disse...

Amiga,resalvo a minha mensagem acima sobre a data da prisão de meu pai
Nasceste um ano depois de meu pai ser preso pela PIDE, meu pai foi preso a 22 de Maio de 1958,no dia a seguir ao do seu aniversário a 21 quando eu tinha dez anos.
Marília

Marília Gonçalves disse...

papoila rubra, aqui fica o link para a Valsa das Papoilas, pelo teu lindo dia de anos

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=32BMk8RJPv8

Marilia

azinheira sou eu disse...

obrigado marília, muito bonito
beijinhos

Marília Gonçalves disse...

obrigada Amiga, se é que o carinho se agradece... carinho e Respeito que temos uma pela outra e pelos que nos deram a vida. Viva Portugal, Viva o 25 de Abril! quem dera que todo o Povo de Portugal desperte
tua amiga
Marília

Marília Gonçalves disse...

e vê se me reconheces no fb; enviei-te o convite, estamos nos blogueros também
&br&ço