24 janeiro 2013

o tempo. revisitado


sob a terra húmida
no recorte
em camadas de tempo
as marcas

breves
fugidias
à espera de ser encontradas

quem as deixou não sonhava
ou sequer imaginou
o que elas representavam
para quem as encontrou

pedras
muros
casas
oficinas

que histórias abrigam essas paredes
quantos abraços 
mãos que se tocaram

os carinhos e os afagos
trocados
entre o dono e o pequeno cão
sepultado com cuidado

marcas
civilização
distantes

tempo terrível
(e hoje não é?)

mais de dois mil anos
naquele pedacinho de terra
lavrada
semeada
onde já cresceram searas

nesse bocado de terra
sucessivamente ocupado
vivido
por eles
por nós
homens
mulheres

diferentes os tempos
quase o mesmo modo de pensar

ainda agora
será a terra que o condiciona, ao modo de pensar?

quem o saberá?
aqui neste presente passado
encontrei-me com essas marcas
ou elas encontraram-se em mim

4 comentários:

Anónimo disse...

Obrigada Rosalina pelas coisas tão bonitas que escreves e me dás a ler.
Bj, Joana

azinheira sou eu disse...

eu é que te estou grata joana
por seres minha fiel leitora
e gostares do que escrevo
beijo amiga

Marília Gonçalves disse...

Papoila Rubra,Rosalina
o tempo agora é de luta! pelo Direito de sermos gente e de nos verem como tal! à Greve Geral de 24 de Novembro!
Unidos todos os que trabalham e sabem o peso do sofrimento, esmagados pela alta finança, os que se consideram donos do Mundo,em Greve para reconquistar plenamente a nossa Dignidade!

Amigos(as), Companheiros(as), Camaradas

Cumprir Abril é ser Abril pra sempre
é ser mais que palavra sementeira
onde se cumpre amor se inscreve grava
uma história nossa companheira

onde cada página é um grito
de Luz,beleza Universal
onde o povo se grita
é porque digno
sabe que em si se escreve
Portugal

cumprir Abril é ser do mundo inteiro
aqui à nossa porta paraíso
onde cada palavra é um canteiro
a reflorir sempre que é preciso

cumprir Abril é ser mais do que somos
sangue natural que nos circula
é não ter medo do que um dia fomos

erguermo-nos em Povo altivo e forte
que não se deixa nunca espezinhar
e quem nome da vida enfrenta a morte
com sementeiras de luz no seu olhar!

Marília Gonçalves

azinheira disse...

marília
é sempre tempode luta

dia 24 ainda mais
cada um como puder, para que a greve geral de dia 24 seja um êxito
abraço