05 maio 2010

de volta a setúbal... se não fosse a grécia

o que me apetecia mesmo era falar de setúbal. a azáfama do porto de setúbal em dia de trabalho. tudo na labuta. os pescadores de volta das redes e dos barcos. trabalhadores do porto manobram guinchos de puxar os barcos para terra, outros em pequenas reparações, alguns velhos, antigos pescadores, sentados à conversa. poucos turistas em passeio. muitos pescadores com os apetrechos montados, a pescar na muralha. uma mulher pescadora, de bmw ainda dá mais nas vistas. a figura alta e esguia de um homem de pé, pele tostada pelo ar salgado.  olha o rio azul que se reflecte no seu olhar, fumando calmamente. talvez numa pausa antes de recomeçar a faina. aprecia... qualquer coisa, ou pessoa que lhe passe pela frente. o cheiro do peixe e da maré, à primeira sensação desagradável,  logo se torna natural quando nos damos conta do local em que nos encontramos. é o odor forte e característico de um porto de mar e da lota vizinha. a vista das embarcações de pesca. indescritivel beleza! mil fotografias e não conseguiríamos captá-la, ou todo o labor que envolve essa faina pesada e perigosa, que ainda é a pesca. o colorido dos barcos, arrumados em duas ou três ordens, o seu baloiçar suave nas águas, os gritos das gaivotas e as disputas pelo peixe, a ingenuidade dos nomes inscritos na proa e na popa. sempre a fé, a mística, o nome de alguém querido em reverência temente. à imponderabilidade. em terra, antigas barcaças desoladas,  sem préstimo, contapõem a sua desordem. seriam precisas horas e horas para descrever um dia de trabalho e todas as sensações que nos assaltam. as músicas que nos afloram a lembrança, como se já as tivessemos escutado antes, ali naquele preciso local...os poemas que escrevemos mentalmente e não passámos para o papel...talvez num outro dia, mais inspirado..e . era disto tudo que gostaria de falar se não fosse a grécia e a luta de massas e toda a violência que envolve a exploração capitalista e a resistência que é preciso opôr-lhe.



















8 comentários:

Marília Gonçalves disse...

ADIANTE EXPLORADOS do MUNDO



Sermos quem somos verticais e Dignos e apoiar de imediato a Luta do Povo grego. Apoiar a coragem que vemos desenrolar na Grécia, é defender o nosso próprio Futuro,os nossos DIREITOS CÍVICOS o Nosso Respeito por nós mesmos!
é uma barreira levantada contra a força da alta finança que nos quer espoliar de toda a consciência humana e reduzir-nos a máquinas produtivas e sem pensamento activo!
De pé! Urgentemente! Por uma força Internacional de TRABALHADORES que tenham a força correspondente de resposta à agressão do grande capital!
Unidos e de pé neste momento histórico em que a face do Mundo pode mudar de assim o quisermos!
Para que o dia de Amanhã nos pertença LIVRE E CLARO
de Pé Irmãos Universais!
Povo de Portugal responde Presente por Ti, pelos teus FILHOS, PELA LIBERDADE!
Agora! Hoje e Já!


Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

O Espanto da Marília AHHHHHHHHHHHH
Afinal Portugal até está rico!!! RICO E AMARELO

SENÃO LEIAM:

sexta-feira, 7 de Maio de 2010 | 13:21

Portugal aprova apoio à Grécia, PCP e Verdes votam contra

O Parlamento aprovou hoje por maioria o empréstimo financeiro de Portugal à Grécia, na ordem dos 2064 mil milhões de euros, operação que, segundo o Governo, será neutra em termos da dívida nacional.

O Governo apresentou hoje na Assembleia da República uma proposta de lei para autorizar a possibilidade de o Estado português «conceder empréstimos, realizar outras operações de crédito ativas a Estados membros da Zona Euro e prestar garantias pessoais do Estado a operações que visem o financiamento desses Estados».

O diploma teve os votos favoráveis do PS, PSD, CDS e Bloco de Esquerda e os votos contra do PCP e Verdes.

Para o secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, Carlos Costa Pina, este diploma tem «uma importância fundamental», no sentido do «reforço das condições para que assistamos novamente à criação de um verdadeiro clima de confiança quanto à situação da nossa economia e das finanças públicas».

Costa Pina sublinhou a «absoluta conveniência da participação de Portugal na operação europeia de apoio à Grécia».







http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=449125

azinheira sou eu disse...

pois é marília
aos governantes portugueses e todos esses grandes burgueses e capitalistas que governam portugal e o mundo não falta dinheiro. só para os salários dos funcionários públicos, dos trabalhadores em geral, para os desempregados é que falta o dinheiro. mas não lhe falta, a eles a vergonha de continuar a pedir sacrífícios ao povo português e ao povo grego. e aos povos explorados do mundo. mas isto um dia há-de ter fim, pode demorar. mas acho que já esteve mais longe.
viva a coragem revolucionária do povo grego.

Marília Gonçalves disse...

e a nossa minha amiga filhas do digno povo de Portugal que já está também a perceber!
viva a solidariedade de todos os irmãos trabalhadores do Mundo
viva a luta que nos devolve a todos a Esperança perdida
Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

ATT DE PÉ O PERIGO É REAL

COMPANHEIROS AMIGOS LEITORES (Resposta à Magnifica Chamada à Acção do Coronel Andrade da Silva, um Capitão de Abril) em Liberdade e Cidadania
http://liberdadeecidadania.blogspot.com/

é tal e qual! ou se activam intensamente ou se perdemos o comboio da Grécia, durante longos anos de desespero não torna a passar mais nenhum!
Agora ou vai ou racha!
é preciso que todos percebam que estamos num ponto crucial da História!
Avancem ! avancemos todos Unidos!
e poderemos dizer que ganhámos as nossas vidas e as de nossos filhos!
ou então adeus minhas encomendas.... e a nova e moderna escravatura tomará o lugar da Democracia e entraremos num processo de robotização, onde toda a forma de Liberdade e todos os Direitos nos serão negados! querem um exemplo? vejam como eles querem baixar o valor das reformas de quem trabalhou uma vida inteira a descontar para a velhice! olhem à vossa volta, acham que é possível viver se eles diminuem as reformas que são já tão pequeninas? Enquanto eles têm reformas enormes como vos mostrei no post anterior sobre o luto nacional!
está ai a prova! Eles acham que para eles tudo é pouco e querem mais ainda!
e a nós? acham que o pouco que temos é demasiado!
Por aí vejam com atenção o que nos espera!
eu mesmo doente estou pronta! Esse não é o futuro que quero para os que amo e deixarei um dia, quando a partida definitiva chegar num deserto de gelo, onde um pouco de calor humano será apenas uma vaga memória!
Adiante e Unidos Venceremos! O perigo é mesmo real, não se deixem mais iludir nem embalar por falinhas hipócritas!
A vida é nossa, não deixemos que nos transformem em máquinas de rendimento que quanto mais trabalham mais rendem!
Usem toda a capacidade de vossos cérebros, pensem profundamente no que vos espera! Acreditem naqueles que não têm nenhum tacho a defender! TODOS OS OUTROS APENAS PENSAM APROVEITAR AS NOSSAS FOR9AS E CAPACIDADES ATÉ AO EXTREMOS!
ADIANTE!TODOS UNIDOS VAMOS EM FRENTE!

Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

Unidade Unidade INTERNACIONAL

La coalition d'Angela Merkel au pouvoir en Allemagne a subi dimanche, sur fond d'aide à la Grèce contestée, un camouflet lors d'une élection régionale, qui va lui coûter sa majorité à la chambre haute du Parlement et entraver son action politique.


A coligação de Angela Merkel no poder na Alemanha,sofreu Domingo, sobre fundo de ajuda à Grécia contestada,uma afronta aquando duma eleição regional, que lhe vai custar a sua maioria na câmara alta do Parlamento e que vai travar (prejudicar) a sua acção política


Continemos a Luta
Unidos Venceremos

Marília

kira disse...

Façamos do Alentejo uma nação que merecemos, independente, e que Portugal, que há oito séculos nos explora, fique com o diabo dos socratinos-

azinheira sou eu disse...

kira
o alentejo já é uma nação,
pelo carácter do seu povo, pela extensão do território e até por uma cultura que tem uma identidade própria. nós como alentejanos devemos - e com o tal espírito solidário que nos caracteriza - é ajudar portugal a libertar-se dessa corja que se instalou no poder e dos outros que já se abeiram.